.: Wanel Ville 28 :.
 
.: Editorial :.


Bairro em Foco completa 5 anos de história


Em 2004, ao procurar um terreno à venda no Wanel Ville, Marcos Tadeu Stachewski notou que alguns moradores deste bairro desconheciam a grande quantidade e variedade de estabelecimentos comerciais existentes, sem contar aqueles que estavam em construção. Com essa idéia, Stachewski resolveu criar um informativo que ajudasse as pessoas a saber mais sobre o lugar onde vivem. No mês de março daquele ano saiu o primeiro número do Bairro em Foco, a princípio apenas para o Wanel Ville e proximidades.
Naquela primeira edição, foram distribuídos porta-a-porta, três mil exemplares. Na segunda, Stachewski já notou a necessidade de aumentar a tiragem para quatro mil. Hoje, além do Wanel Ville e adjacências, outros quatro informativos são produzidos em periodicidade bimestral: Central Parque e Cia., Júlio de Mesquita e Cia., Jardim São Paulo e Cia. e Jardim Simus e Cia. A cada quinze dias, um deles é lançado, formando assim um rodízio para atender a 27 bairros da zona oeste, com tiragem total de 37 mil exemplares distribuídos gratuitamente.
Nesta edição do “Jardim São Paulo e Cia”, o jornal passa a atender também o Jd. Europa, oferecendo mais oportunidades de mercado para os já anunciantes, além de proporcionar opções de divulgação para o comércio deste bairro.
O jornal se dedica a divulgar as ações mais importantes em cada bairro, trabalhando em parceria com as entidades beneficentes, instituições, igrejas e também com os órgãos da prefeitura. Tudo isso na intenção de informar o leitor da zona oeste sobre todas as ações que diretamente vão influenciar no seu dia-a-dia. E isso se faz oferecendo a todos, novas opções de lazer, recreação e negócios, privilegiando as ações culturais e sociais dos bairros além das melhores alternativas do amplo comércio existente nesta parte da cidade.

Jota Abreu

 

.: “Cabelo e Corpo” com nova sede e serviços :.

O ritmo acelerado do dia-a-dia faz surgir a necessidade de instantes mais tranqüilos na vida de qualquer pessoa. Com as mulheres, uma boa forma de relaxar é cuidando de si mesmas, procurando tratamentos de beleza. Mas muito além de ficar bonita, elas também querem conforto, tranqüilidade, privacidade, etc.
Pensando nisso, o Salão de Beleza “Cabelo e Corpo”, inaugurou uma nova sede no Wanel Ville, há um mês. As novas instalações ficam na mesma rua, Valmir Vitório Segura, agora no número 33.
Segundo as proprietárias Sabrina e Gilliana Chibani, o destaque do novo salão fica por conta da sala de depilação e estética que é climatizada. Muitos salões têm apenas ar condicionado para o frio. No caso do “Cabelo e Corpo”, também é possível desfrutar de ar quente. Mas quem puder visitar, vai ver que todo o ambiente do salão mudou: novos (e modernos) móveis, decoração, piso, pintura, etc. A sede também conta agora com uma agradável sala de espera, recepção e área para fumantes.
Com essas atualizações também foram contratados novos cabeleireiros, manicures, etc. Profissionais novos para ampliar e aperfeiçoar o atendimento.
A clínica de estética oferece serviços como drenagem linfática, massagem modeladora, limpeza de pele e tratamento facial e corporal em geral.
O “Cabelo e Corpo” existe há seis anos, sendo quatro deles só no Wanel Ville. “Quando viemos para cá, foi por acreditar no potencial do bairro”, afirmam as proprietárias. Para elas, a ampliação do negócio, trazendo luxo e sofisticação para as mulheres desta região, é uma prova do retorno que era esperado da localidade. E por conta desse retorno, houve o grande investimento .
Vale a pena conferir!

.: Método Kumon: postura autodidata nos estudos :.

Descobrir e desenvolver ao máximo as capacidades, possibilitando o prazer nos estudos e a formação autodidata é a principal missão do método de estudo Kumon, criado no Japão pelo professor Toru Kumon presente em mais de 45 países.
“No Kumon, diariamente se formam pessoas autoconfiantes e disciplinadas, capazes de enfrentar desafios, e buscar os sonhos”, explica a orientadora do Kumon Unidade Jardim Magnólia. É aplicado o estudo individualizado, onde o aluno tem um programa específico, sendo respeitados o ritmo, a capacidade atual, e as metas. O sistema é adequado para todas as faixas etárias, pois independe da idade e da série escolar. A duração varia de acordo com o potencial do aprendiz.
O método, segundo ela, visa ainda ultrapassar os conteúdos da série escolar de forma autodidata evoluindo até o Ensino Médio. “Assim que o aluno chega ao Ensino Médio terá maior facilidade, ganhando tempo para fazer outras atividades, ler, viajar e escolher a universidade que deseja seguir”, conta. A idéia é possibilitar condições de criar pessoas capazes de resolver problemas e superar desafios, contribuindo com a comunidade global.
Cursos e material didático
Português, Matemática, Inglês e Japonês podem ser escolhidas de acordo com o interesse e dificuldades dos alunos.
Já o material didático é programado e auto instrutivo, permitindo ao estudante aprender sozinho. O método conta com rotina de aula, onde são seguidos diversos procedimentos de estudos, de que estimulam a aprendizagem. “O aluno também desenvolve determinadas habilidades que serão úteis nos estudos e na vida, como auto-estima, concentração, disciplina e responsabilidade”, conta.

Surgimento do Kumon
O método foi criado no Japão em 1958 por Toru Kumon. Desejando que seu filho desenvolvesse o potencial e conseguisse trilhar o próprio caminho, elaborou um material didático auto instrutivo para que o menino estudasse conforme o ritmo de aprendizagem. Hoje está presente nos cinco continentes, sendo aplicado para 4 milhões de alunos. A unidade do Kumon do Jd. Magnólia fica na rua Dr. Luiz Pereira de Campos Vergueiro, 20. Telefone 3011-2546.

.: Crise? E eu com isso? :.

Ouve-se um estardalhaço pela crise financeira mundial. Basta uma câmera apontada, microfone ligado ou um teclado de computador que alguém fala sobre o assunto. Aliás, este texto está parafraseando o título criado pela jornalista Elaine Tavares do jornal “Brasil de Fato”.
O monstro parece horripilante. E não é mesmo dos mais bonitos. Nos EUA, fortes bancos quebraram porque as pessoas compraram casas a preço baixo, e não conseguiram pagar. A quebra das hipotecas causou efeitos em vários lugares. Mas, para o Brasil, a coisa não está tão feia. Fomos inteligentes ao manter a política econômica do governo anterior, aproveitando uma maré boa e conquistamos certa estabilidade. Então não tem essa de “A crise vai pegar todo mundo”, como se ouve por aí.
Algo que está trazendo insegurança são as grandes empresas que têm recebido ajuda federal para suportar o momento. Algumas delas aproveitaram para realizar demissões, se livrando de empregados-problema e diminuindo gastos. O próprio Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, esbravejou e ameaçou exigir que as empresas beneficiadas dessem garantia de não cortar empregos.
Não vá sair comprando tudo, acreditando na estabilidade brasileira. Também não precisa cair na pedagogia do medo por causa do fantasma. É cautela e não desespero. É momento de evitar dívidas longas (se possível, nenhuma). Até porque alguns produtos aumentaram (e muito) o preço. Outros abaixaram, como os carros que tiveram redução de IPI . Mas, atenção: só vale a pena comprar carro com dinheiro para pagar à vista. Os juros continuam subindo e pegar um financiamento nesse momento é “fria”.
Está ruim mesmo para apostadores da loteria que é o mercado de ações nas Bolsas de Valores. Mas quantos de nós investimos lá? Interessa pensar na maioria da população.
Os empregados devem se dedicar e evitar confrontos para se manter. Se a empresa cair nessa de demitir, pode ser a chance de escapar do “facão”. Há até seguradoras garantindo o pagamento de despesas mensais (água, luz, etc.) daqueles que ficarem fora do mercado. Para os empresários: cuidado. Paulo Skaf, presidente do FIESP, sugeriu reduzir jornada de trabalho e salário em 30%. Seria bom caminho? Os sindicalistas dizem que o trabalhador já não consegue cumprir totalmente com seus compromissos tendo o salário completo, e com essa diminuição, o consumo também iria cair, ninguém mais venderia, nem compraria e, aí sim, a crise se instalaria de vez.
O melhor a se pensar, é que toda crise é uma oportunidade de novos negócios. Diria uma antiga frase: “Enquanto uns choram, outros vendem lenço”.

.: Bairro em Foco se consolida como melhor jornal do segmento :.

Mais que informar, um veículo de comunicação tem o dever social de prestar serviço à população. Para um jornal de bairro, essa missão fica mais evidente. Por estar em um nicho menor e mais próximo ao leitor, é um canal de informação direta para os moradores, pois é distribuído porta a porta, contendo notícias sobre o bairro onde moram.
No Bairro em Foco não é diferente. Desde fevereiro de 2004, com o lançamento do Wanel Ville e Cia, o jornal busca aprimorar o seu trabalho e estar no dia-a-dia do leitor. E esse aperfeiçoamento foi reconhecido. Em dezembro, no Concurso Jornalístico e Publicitário 2008, promovido pela Prefeitura de Sorocaba, o Bairro em Foco recebeu o troféu José Carlos Paschoal como o melhor jornal de bairro.
O concurso ocorre anualmente com o objetivo de valorizar os profissionais e incentivar o setor de comunicação da cidade, premiando os melhores trabalhos relacionados ao município e veiculados na mídia local.
Os trabalhos inscritos foram avaliados por representantes da Associação Sorocabana de Imprensa (ASI), Associação das Agências de Propaganda de Sorocaba e Região, Academia Sorocabana de Letras, Câmara dos Vereadores e Prefeitura Municipal de Sorocaba.
Para o editor Marcos Tadeu Stachewski, esse reconhecimento foi uma grande vitória. “Sabia que o Bairro em Foco tinha potencial para ser o primeiro, mas custei a acreditar quando ele foi anunciado”, confessa emocionado. Hoje, além do Wanel Ville & Cia, circulam os jornais Central Parque e Cia., Júlio de Mesquita e Cia., Jardim São Paulo e Cia. e Jardim Simus e Cia.
Marcos decidiu criar o veículo de comunicação porque, ao andar pelo Wanel Ville, percebeu que havia uma lacuna que distanciava o comércio dos moradores e vice-versa. O comércio não tinha um veículo dirigido para atrair clientes, e esses buscavam o que precisavam em outros locais, pois desconheciam os produtos que as lojas, instaladas no próprio bairro, ofereciam.
De bicicleta e munido de uma prancheta para fazer anotações, Marcos começou a mapear as áreas do Wanel Vill
e para saber quantas residências existiam. O levantamento evidenciou a necessidade de um veículo de comunicação.
Hoje, o Bairro em Foco circula em 29 bairros da Zona Oeste da cidade de Sorocaba. São 38 mil exemplares que levam informações, dicas e presta serviço a população.

Nova equipe

Desde janeiro o jornal conta com reforço em sua equipe editorial. Jota Abreu é o novo jornalista que comandará as notícias do Bairro em Foco.
Fabiana Yoko

.: Wanel Ville tem um Sensual Shop :.

Acessórios para aquecer os momentos de intimidade. Para muitas mulheres, um tabu intransponível. Outras ficam receosas ao abordar o assunto, embora exista uma curiosidade oculta. Na intenção de não expor as mais discretas, a ex-assistente comercial Andréia Dias pensou uma boa solução. Junto ao salão de beleza de Eduardo Guilherme no Wanel Ville, onde era cliente, ela sugeriu a criação de um “Sensual Shop”, uma espécie de Sex Shop discreto, voltado para as pessoas que não se sentem à vontade em frequentar um estabelecimento nos moldes tradicionais. Assim nasceu o “Arsenal da Sedução”.
Ao lado da sócia Márcia Silvério, Andréia conta que a ideia é estimular mais a sensualidade do que o erotismo. “Fizemos uma pesquisa e nos sex shops a frequência é 60% masculina”, afirma. O motivo, segundo ela, é que as mulheres tem mais vergonha. “Aqui é um salão de beleza. A mulher vem para ficar bonita e pode levar um atrativo a mais”, explica.
No “Arsenal da Sedução” é possível encontrar lingeries criativos, loções, cremes, óleos para massagem, além de acessórios para a hora H. Também há artigos mais ousados em um local reservado. A proprietária ressalta que “o atendimento é personalizado e individual para conhecer a linha completa de produtos”.
Em breve, Andréia irá inaugurar a loja virtual www.arsenaldaseducao.com.br quando irá vender os produtos para todo o Brasil, com variedade nas formas de pagamento. Os preços praticados nesse mercado costumam ser altos, mas Andréia garante que consegue atender aos clientes com custo baixo. O “Arsenal da Sedução” fica na Av. Paulo Emanuel de Almeida, 140, no Wanel Ville. O telefone do Sensual Shop é 3321.3918.

.: Acupuntura é tratamento alternativo sem remédio :.

A Acupuntura é uma terapia que surgiu na China há aproximadamente 4.500 anos. Para a Medicina Tradicional Chinesa, toda doença origina-se a partir de um desequilíbrio energético que pode ser originado pelo excesso das emoções (raiva, tristeza, preocupação, medo) ou quando o corpo é invadido por energias perversas (frio, calor, umidade, vento). A técnica de tratamento pela acupuntura consiste basicamente na inserção de agulhas especiais em determinados pontos espalhados pelo corpo. Esses pontos são, na maioria das vezes, locais de encontro de várias terminações nervosas que quando estimulados pela agulha, liberam substâncias analgésicas que proporcionam o alívio da dor. A escolha dos pontos e da técnica a ser utilizada vai depender do diagnóstico feito pelo terapeuta na primeira sessão. A duração, a freqüência e o tempo das sessões vão depender das condições, da gravidade e do tempo da evolução da doença. Geralmente são necessárias de 10 a 12 sessões semanais que levam em media de 30 a 60 minutos. Muitas pessoas evitam o tratamento pela acupuntura devido ao medo das agulhas. Para essas pessoas, a acupuntura pode ser feita com imãs (magnetoterapia), sementes (fitoacupuntura), laser (laserpuntura), luzes coloridas (cromopuntura) ou mesmo massagens nos pontos determinados. O maior benefício da acupuntura é proporcionar condições ao organismo para se autocurar, eliminando os fatores patológicos e restabelecendo o equilíbrio físico e mental. Entre as doenças tratadas pela acupuntura podemos citar: stress, ansiedade, insônia, depressão, dores de cabeça, distúrbios menstruais, dores na coluna, joelhos, ombros, gastrite, constipação intestinal, obesidade, infertilidade, palpitações, distúrbios da menopausa, gripes, alergias, tabagismo, alcoolismo, como auxiliar no controle do diabetes, pressão alta etc. Para as crianças: tratamento de fobias (medos), enurese noturna (xixi na cama), traumas, insônia, dificuldade de atenção e concentração escolar, hiperatividade, alergias, etc.
Lília M. Armbruster Denardi

.: Centro de Saúde do Wanel Ville deve ser inaugurado em pouco mais de 1 mês :.

Esperado pela população do bairro e suas redondezas, o Centro de Saúde do Wanel Ville está prestes a ficar pronto. A Secretaria Municipal da Saúde informa que as obras físicas estão em fase final com os últimos trabalhos e adequações no prédio. Também estão em andamento os processos de compra de equipamentos, móveis e organização da equipe que atuará na unidade. A expectativa é concluir esta etapa em um prazo de aproximadamente trinta dias.
Segundo o órgão da prefeitura, o CS Wanel Ville será um dos maiores da cidade, com 1.049 m² de área construída dentro dos mais atuais conceitos de humanização e atenção à saúde. A informação é de que a unidade terá 17 salas, sendo sete consultórios. As demais servirão de espaços de apoio e de serviços, como sala de vacina, de sutura, de aerossol, escovódromo, entre outras.
A Secretaria de Saúde classifica o futuro CS como uma das unidades estratégicas: uma unidade básica de saúde, com alguns serviços diferenciados. Entre eles está o atendimento de especialidades médicas que será implantado gradativamente em algumas unidades da rede municipal de saúde a partir de 2009. Na rotina, desde o início do funcionamento, a unidade terá serviço de acolhimento, atendimento com clínico geral, pediatra, ginecologista, dentista, atendimento de enfermagem, vacina, entre outros.
A unidade que contará com uma equipe de cerca de 50 funcionários atuará em uma região com população estimada em cerca de 20 mil habitantes. A área de abrangência compõe os bairros: Wanel Ville do 1 ao 5, Jardim Ipiranga, parte do Parque Ouro Fino e parte do Parque Esmeralda. A expectativa inicial é de três a quatro mil atendimentos mensais, com previsão de ampliação.

.: Território Jovem oferece curso de fotografia artística :.

O Território Jovem, no Jd. Ipiranga, vai realizar um curso de fotografia artística a partir do dia 4 de março, todas as quartas e sextas-feiras, das 15h às 17h. O professor será o fotógrafo José Ernesto, conhecido como José Neto. As inscrições estão abertas na sede do TJ, na Av. Elias Maluf, 1080. Mais detalhes pelo telefone: 3221.3081.
Segundo Neto, o curso irá mostrar como funciona o processo de fotografia e como a imagem se forma. Para isso, será abordada a história da fotografia e as evoluções que ocorreram.
Para participar não é preciso ter câmera. Na realidade os alunos irão fazer o seu próprio equipamento. A construção de câmeras fotográficas com latas será a forma de ilustrar como a foto pode ser ferramenta de expressão e criatividade. Estas câmeras primitivas são chamadas de Pinhole.
As fotos serão feitas pelos alunos nestas câmeras rudimentares construídas por eles e posteriormente reveladas no decorrer do curso.
José Neto é publicitário, professor de fotografia da Unip, fotógrafo há mais de 20 anos. Faz trabalhos para empresas, agências e veículos de comunicação. Pesquisa técnicas alternativas e atualmente realiza pesquisa e fotografia e semiótica no programa de mestrado de Comunicação e Cultura da Universidade de Sorocaba.

.: Pastoral do Menor oferece oportunidades para crianças e adolescentes :.

Criança e adolescente em casa, durante o dia, quando não está na escola. Algo realmente ruim para todos. A desocupação dos meninos e meninas leva a buscas quase sempre prejudiciais. O resultado pode ser desastroso também para os pais e sobretudo para a sociedade.
Há sete anos em Sorocaba e cinco no Ouro Fino, na Paróquia Sta. Mª Madalena, a Pastoral do Menor supre a necessidade citada acima. No bairro do Ipiranga é mantido o Centro Educacional Comunitário, onde a pastoral realiza os seus trabalhos. Ivone Siqueira, coordenadora do CEC, está lá todos os dias das 8h às 17h, quando são realizadas atividades como capoeira, futebol, artesanato e reforço escolar. Eles também assistem a vídeos educativos, mas o que mais gostam de fazer é a roda de conversas, onde são abordados de forma aberta, temas como violência, relação familiar, sexualidade, etc.
São 172 assistidos, que vêm de casa pela manhã, muitas vezes em jejum. “Alguns chegam logo cedo, ansiosos pelo almoço às 11h”, revela Ivone. São três quilos de feijão, oito de arroz e doze pacotes de macarrão usados diariamente para a refeição. “Recebemos a mistura todas as quintas-feiras, graças a boa vontade do Banco de Alimentos do CEAGESP”, conta. Mesmo com a colaboração, ainda há a necessidade de doações para o complemento da alimentação, já que a quantidade oferecida pelo CEAGESP não é suficiente para suprir a semana inteira.
Para fazer parte da pastoral é preciso ter entre 4 e 15 anos, além da obrigatoriedade de estar freqüentando a escola. Eles ficam meio período na pastoral, e na outra metade do dia devem estudar.
Desde outubro o CEC está na Av. Elias Maluf, 1206, próximo ao Território Jovem no Jd. Ipiranga. Informações pelos telefones: 3017.1193 e 9101.3061.
Ivone Siqueira conta que para alguns projetos, a Pastoral do Menor recebe verba da prefeitura. Mas a maior parte da renda vem da Paróquia Santa Maria Madalena, onde eles recebem o apoio do Pe. Rubens da Silva Damazo. Fica o apelo para mais doações, para que meninos como João Henrique Salles Paulino (13), Hudson Augusto Dias Martins (13), Abimael Leme dos Santos (14) e Lucas Henrique da Rocha Santos (14) possam ter uma direção orientada em suas vidas, e continuem a ter, como eles próprios disseram, conhecimento, confiança, liberdade e paz.

.: Mudanças em 2009 :.

É, meus amigos, 2009 é o ano da reforma ortográfica. Em casos como AUTOESTIMA, o hífen cai. A sua é que não pode cair. Em algumas palavras o acento desaparece, como em FEIURA. Aliás, poderia desaparecer a palavra toda. Não existe mais o acento em IDEIA, mas dela a gente precisa e muito! Ah, em VOO o acento também cai. O que não pode cair é a aeronave, pois isso traz dor a muita gente e as investigações sobre acidentes assim, na maioria das vezes, não responsabilizam ninguém vivo. Falando nisso, o trema sumiu em todas as palavras, como em INCONSEQUÊNCIA, que também poderia sumir do mapa. Assim, a gente ia viver com mais TRANQUILIDADE.
Mas nem tudo vai mudar. ABRAÇO continua igual. E quanto mais apertado, melhor. AMIZADE ainda é com “Z”, como VIZINHO, FUTEBOLZINHO, BARZINHO. Expressões como “EU TE AMO” continuam precisando de ponto. Se for de exclamação, é PAIXÃO, que continua com “X”, como ABACAXI, que gostando ou não, a gente ainda vai ter alguns para descascar. SOLITÁRIO ainda tem acento, como SOLIDÁRIO, que muda só uma letra, mas faz uma enorme diferença. CONSCIÊNCIA ainda é com SC, como a sigla de SANTA CATARINA, que precisa tocar a VIDA para frente.
E por falar em VIDA, bem, essa muda o tempo todo. É por isso que emociona tanto!!!
Texto inspirado em autor desconhecido.

.: O alerta para quem AINDA tem alegria, família, emprego e paz :.

“Quando ajudo o próximo, também sou ajudado.” Essa foi a saída que Alexandre Grandi Leite encontrou para o beco com o qual se deparou na sua vida de contato com todas as drogas imagináveis e o álcool. Maconha, inalantes, injetáveis e bebidas levaram o ex-bancário a jogar no lixo o que tinha conquistado com trabalho. Leite havia se tornado adicto, alguém excessivamente apegado e dependente. Após viver experiências como ser preso, baleado, tentar suicídio e perder a memória, além de 13 internações, chegou ao ponto crucial para todo usuário compulsivo conseguir parar: querer. “Eu queria parar de sofrer e não de beber”, lembra. A décima quarta passagem por uma casa de reabilitação abriu os olhos para que ele notasse que a única solução para sair do fundo do poço era ver outras pessoas na mesma condição e não desejar aquilo para si. “Continuo em tratamento. Cada vez que vejo alguém chegar mal aqui, me recordo que não posso voltar a esse estágio”, descreve.
Hoje, Alexandre é um dos coordenadores da chácara do Grupo de Recuperação e Apoio Rumo Certo (GRARC), que tem na presidência Celso Catto Júnior e Mauro Roberto Nicoletti, outros dois ex-viciados.
A entidade conta atualmente com cerca de 70 internos. Alexandre revela que muitos chegam lá sem admitir a dependência e dizendo que têm família, emprego, etc. “Nós dizemos ‘Você ainda tem essas coisas. Mas se continuar assim...’”, relata. Para ele, o dependente não pode repetir os mesmos erros na tentativa de conseguir um resultado diferente. Por essa razão, o GRARC usa um conjunto de etapas a serem alcançadas durante o tratamento, que eles chamam de 12 passos. “Os adictos têm uma doença física, mental e espiritual ao mesmo tempo. Para combater, é preciso tratar os três aspectos”, relata.
Ele afirma que ser dependente de drogas ou álcool é ter um problema progressivo, incurável e fatal, mesmo depois de passar por um tratamento. Por essa razão, depois de receber alta, é necessária precaução. A recomendação é “Evite a primeira dose”. Depois da recuperação, uma recaída pode não ter mais volta.
Os internos fazem atividades de laborterapia (trabalhos para reflexão) e espiritualidade (não-religião). “Algumas pessoas de grande poder aquisitivo chegam aqui e vão trabalhar pesado. É aí que eles percebem tudo o que perderam com a dependência”, explica o coordenador.
Para manter um interno, a família deve contribuir com R$ 300 e uma cesta básica ou com apenas R$ 350. Para informações sobre internação e tratamentos o GRARC atende pelos telefones 3236.4435, 3221.4812 e 3222.8415.

Co-dependência
Alexandre Grandi Leite ressalta que cada dependente cria em seu círculo de relacionamentos (família, amigos, patrões, etc.), um grande número de co-dependentes. Eles são pessoas próximas ao viciado, que deixam de dormir, de se concentrar no trabalho e abandonam suas vidas por causa do outro. “Elas também precisam ser tratadas”, avisa Leite. Para esses, o grupo mantém reuniões todas as segundas das 20h às 22h na Paróquia Cristo Rei, nas Laranjeiras. Quem quiser saber mais sobre os encontros pode contatar o GRARC.