.: Matérias Julio de Mesquita 24 :.
 
.: Editorial :.

Recentemente, o jornal Bairro em Foco marcou presença na etapa regional da I Confecom, a Conferência Nacional de Comunicação, que aconteceu na Câmara Municipal de Sorocaba. A fase nacional irá se realizar em Brasília, no início de dezembro. Para se ter uma ideia da urgência de discussão sobre o assunto, alguns outros setores como saúde e educação já fazem conferências há pelo menos 10 anos. Já a comunicação, que também é um direito constitucional terá esse ano a sua primeira edição. Resolvemos participar desse evento, pois julgamos que com o trabalho comunitário que fazemos, podemos contribuir de forma eficiente. Principalmente porque uma das diretrizes da Conferência é o aumento gradativo da regionalização da informação. Veja mais sobre esse assunto em matéria na página 16.
Outro evento no qual participamos foi um encontro promovido pelas alunas de enfermagem da PUC (Pontifícia Universidade Católica) na tentativa de aproximar os moradores aos grupos sociais e instituições existentes na região do Júlio de Mesquita. Mais uma vez, nos colocamos à disposição da população e das entidades para ser um canal de comunicação que represente as pessoas.
Além disso, ainda como forma de estreitar nosso relacionamento com o leitor, trazemos mais uma novidade para interagirmos e prestarmos serviço à comunidade. A coluna fixa “Pergunte para a Cris” é fruto de uma parceria com a Psicóloga Dra. Christiane M. T. Araújo que irá responder às perguntas dos leitores sobre problemas pessoais. Se você tem alguma dificuldade particular da qual não consegue encontrar solução, mande sua pergunta por e-mail, e a sua identidade será preservada. Não se acanhe, pois o seu problema pode perfeitamente também ser o mesmo de tantas outras. As questões devem ser enviadas pelo e-mail bairroemfoco@terra.com.br.
A força da nossa existência está em conseguirmos nos renovar, ampliar pensamentos e progredir continuamente. Tudo isso com a colaboração de nossos leitores e parceiros. Que mais estes passos colaborem também para a prosperidade de toda a zona oeste.

Jota Abreu

 

.: Evento da PUC apresenta grupos sociais para moradores do bairro :.

As alunas do 1º ano de Enfermagem da PUC (Pontifícia Universidade Católica) de Sorocaba realizaram na Casa do Cidadão um encontro entre moradores e membros de grupos sociais existentes no bairro e nas adjacências. Entre as instituições que se apresentaram estavam a Associação Amor em Cristo, a Pastoral do Menor do Júlio de Mesquita, o Sabe Tudo do Jardim Santa Bárbara, o Centro de Referência de Assistência Social (CRAS) do Jardim Ipiranga e o Jornal Bairro em Foco.
Segundo a professora da PUC, Raquel Aparecida de Oliveira, antigamente as futuras enfermeiras começavam sua atuação universitária direto em hospitais, enquanto que agora elas vão aos bairros mais carentes, para só depois encarar a rotina hospitalar. “Isso faz com que a formação seja mais humana, dando noção dos reais problemas sociais que acarretam em enfermidades”, explica.
Cada estudante é responsável por 4 famílias, com 2 visitas por semana. Com isso é formado um vínculo para conversas, orientações e levantamento de dados. E nessa fase foi constatado que a maioria dos moradores desconhece os grupos e entidades sociais que atuam no bairro, e muitas vezes oferecem boas oportunidades de formação e inclusão. Na intenção de suprir esse problema, foi organizado o encontro na Casa do Cidadão.
Além dos moradores que não conheciam os trabalhos, as entidades também puderam ter a oportunidade de trocar experiências.

.: Estão abertas as matrículas antecipadas para Ensino Fundamental nas escolas do Estado:.

Dedicação, cuidado e muito carinho é o que nós do Planeta Animal temos a oferecer para cada um dos nossos clientes.
Nós vivemos, amamos e celebramos tudo o que pertence ao mundo deles. Dedicamos nossas vidas ao cuidado e compreensão, com um único objetivo: fortalecer a relação de amor e alegria que existe entre o cão e o seu dono, e entre o cão e todos nós, amigos, que cuidamos da sua saúde e da sua beleza. E o mais gratificante de tudo isso, é vermos os rabinhos abanarem de felicidade e gratidão a cada olhar, parecendo um imenso sorriso.
O Planeta Animal dispõe das melhores rações, nacionais e importadas, medicamentos, vacinas, acessórios (caminhas, roupas, brinquedos), artigos para pássaros e jardinagem, peixes e muito mais.
Nosso Banho e Tosa conta com uma equipe especializada e produtos de alta qualidade, para que seu animalzinho não venha a apresentar problemas futuros. E os banhos são quentinhos, pois nosso chuveiro é a Gás Natural.
Visite nosso site para conhecer mais sobre os nossos produtos e serviços: www.planetaanimalsorocaba.com.br. Disk: 3202.6170, entregas e transportes. O endereço é Rua Osmar Maciel, 369 Arco Íris.

Regiane Rosa Fogaça Machado
Planeta Animal

.: Nova SAB vai representar Santa Bárbara, Montreal e Tropical :.

No último dia 17 de outubro aconteceu oficialmente a Assembleia Geral de Fundação da Associação Amigos de Bairro do Jardim Santa Bárbara, Jardim Montreal e Jardim Tropical, na escola municipal Maria de Lourdes Martinez. Toda a população foi convocada e cerca de 70 pessoas compareceram para aprovar o Estatuto, a Ata e o Conselho Fiscal, além de eleger por unanimidade a diretoria que será composta por Pedro José de Oliveira (Presidente), Claudinei Alcides de Oliveira (Vice-Presidente), Márcia Regina de Souza (1ª Secretária), Josiane Aparecida Cruz Barlora (2ª Secretária), José Donizete Tavares (1º Tesoureiro) e Rosineide Ferreira Camargo (2ª Tesoureira). O Conselho Fiscal será composto por Pedro Bruno Oliveira, Noel Bernardo de Souza e Rafaela Ribeiro.
Uma das primeiras solicitações da SAB ao poder público será a criação de uma nova abertura no canteiro central da Avenida Américo Figueiredo, no trecho recém concluído pela Prefeitura. Segundo o presidente Pedro José de Oliveira, quem vem da estrada do Ipatinga precisa descer até o Júlio de Mesquita, próximo à igreja católica, para fazer o retorno e acessar o quaisquer dos três bairros. E para quem sai, há apenas uma saída para a outra direção da avenida, na rua Daria Galvão da Silva, já no Santa Bárbara. “São muitos moradores para uma saída só. Nos horários de pico o fluxo de carros tem sido intenso”, explica Pedro. A solicitação é que essa obra seja realizada entre o Santa Bárbara e o Tropical.
Outra constatação dos moradores é que a avenida ainda não conta com nenhum mecanismo de redução de velocidade para os automóveis. A solicitação é de que sejam instalados radares ou lombadas para reduzir o risco de acidentes. Além disso, em breve os trabalhos da SAB se concentrarão na luta por posto de saúde, posto policial, vagas em creches, asfalto, etc.
Os moradores que quiserem fazer suas solicitações ao poder público através da SAB, podem ir até a sede provisória da Associação, durante horário comercial, na Rua Antenor Maciel, número 51, no Jd. Montreal. O telefone é 9704.3028.

.: Bike do Dema chama atenção por onde passa :.

Quem passa à tarde pelo Jd. Santa Bárbara corre o risco de ver uma cena inusitada. O empresário Ademar José Tozzato, conhecido como Dema costuma dar umas voltinhas com uma bicicleta curiosa. Ela tem 1,85m de altura, e quando a pessoa sobre, ultrapassa os 2 metros.
A peça foi projetada e construída por Dema há 10 anos, mas por não ter local para guardar, o proprietário teve que ficar um tempo longe do seu brinquedinho. Há dois meses, ele a teve de volta. Três bikes foram usadas para o projeto. Reformada com pintura amarela, chama a atenção por ostentar um volante no lugar do guidão e uma bandeira de Sorocaba. “Moro aqui há mais de 35 anos e amo a cidade”, afirma Dema.
Vindo da cidade de Jardim Alegre no Paraná, Dema hoje mantém uma Auto Elétrica no Jd. Sta. Bárbara. É lá onde seus clientes e amigos se surpreendem ao ver a peça indiscreta.

 

.: Quintais do Imperador: origem japonesa e população
crescente ainda carecem de mais infra-estrutura :.

A história do bairro Quintais do Imperador passa por Paulo Hiroshi Shimote. Sua família veio de Bragança Paulista (SP) em 1960 e se instalou no local onde ele mora há 49 anos. Em 1965, os costumes japoneses fizeram seus parentes apresentarem-no a Keiko Shimote, com quem se casou.
A vida era rural e na lavoura a família plantava um pouco de tudo: verduras, legumes, frutas, etc. O casal teve seus filhos e sempre permaneceu no mesmo lugar. As casas passaram por reformas e ampliações, mas eles preservaram o endereço. Paulo e seus cinco irmãos eram os proprietários de um grande espaço de terra. Tudo conquistado com o suor da plantação.
No começo da década de 80, os negócios não iam bem na agricultura. Ao receber uma proposta, a família entrou em acordo e vendeu as terras para um empreendimento que loteou o local em duas fases: Quintais do Imperador I e II. Depois de alguns percalços, como a falência da imobiliária responsável pela divisão e comercialização dos lotes, vieram as lutas pela infra-estrutura no bairro.
Paulo e Keiko sempre participaram ativamente das ações por melhorias, inclusive tomando a frente de alguns trabalhos. “Nós já tínhamos água e luz próprios, mas queríamos que todos pudessem ter também”, explica a esposa. Aos poucos os moradores foram conseguindo algumas conquistas. “Saímos em todas as casas pedindo colaboração para pagar, e a Eletropaulo instalar energia elétrica”, lembra Paulo. Já para ter água, a imobiliária havia construído um poço artesiano. Mas foi a associação de moradores que colocou para funcionar. Na sequência o SAAE também passou a atender o bairro.
Hoje, o Quintais tem uma população crescente, e já conta com água, luz, telefone, ônibus e comércio. Mas alguns desses serviços são deficitários, como o de telefonia que é constantemente interrompido por conta de roubos de cabos telefônicos. Há ainda o problema do asfalto. Nos dias de seca, muita poeira e nos de chuva, lama. Inúmeros abaixo-assinados foram feitos para a resolução. Recentemente a vereadora Neusa Maldonado (PSDB) apresentou requerimento pedindo pavimentação para o bairro, e a Prefeitura informou que a região está em sua programação, dependendo ainda da adesão dos moradores e disponibilidade de recursos, que podem vir de um crédito adicional de R$ 2,610 milhões destinado à Secretaria de Obras para implantação de asfalto. O valor foi publicado no “Jornal do Município”.
Os moradores do Quintais também aguardam a regularização fundiária, que deve vir através do programa “Casa Legal” do prefeito Vitor Lippi e do vereador Hélio Godoy.
Enquanto tudo isso não acontece, Paulo e Keiko afirmam que não saem do bairro. Eles contam que em todo esse tempo, apenas uma vez tiveram problemas com ladrões, e isso foi há mais de 30 anos quando um botijão de gás foi roubado. “Gosto de terra, de pisar no barro. Aqui, se passa um avião, levanta poeira” brinca o homem. Mesmo sem toda a infra-estrutura, a paz ainda reina no lar da família que é a história viva do Quintais do Imperador.


.: Grupo Shoey inaugura a Loja “Barato! Chique! Modas” :.

O Grupo Shoey está apostando numa nova empreitada. É a loja de roupas “Barato! Chique!” no Júlio de Mesquita. Desde o dia 10 de outubro, o empresário Rogério Augusto Queiroz está encarando mais um desafio. Sempre empreendedor, ele viu no ramo uma boa possibilidade de negócios e geração de empregos para o bairro.
A ideia surgiu por indicação de seu irmão, com experiência de 15 anos no segmento, que atualmente está gerenciando a loja. Além disso, uma ex-funcionária da sua loja de móveis, foi trabalhar com roupas e também afirmou que a experiência poderia ser positiva. Ela também faz parte da equipe, como gerente de vendas.
Na “Barato! Chique!” a intenção é vender roupas de qualidade com preço compatível ao centro da cidade, para que o morador não precise sair do bairro. A loja oferece modas masculina, feminina e infantil, também em tamanhos especiais, além de assessórios e roupas para academia. Há grande variedade em modelos de calças jeans em grandes marcas como Mix e Sawary.

História do Grupo Shoey
Depois de trabalhar com vendas de carros, o empresário Rogério Augusto Queiroz resolveu investir numa lanchonete no Júlio de Mesquita. Três meses depois, sem muito sucesso nos negócios, o novo empreendimento acabou fechando. Havia a necessidade de vender os móveis da lanchonete e, por culpa do acaso, Queiroz notou que a grande procura depois do anúncio no jornal poderia ser uma oportunidade de negócio. Em pouco tempo já estava aberta sua loja de móveis usados. O nome foi escolhido pelo significado: Shoey – Prosperidade em japonês. Hoje, quatro anos depois, o empreendimento é uma das mais fortes lojas do ramo na região de Sorocaba. Além de móveis usados e novos, a loja também oferece conserto, manutenção, compra e venda de eletrodomésticos, com especialidade em refrigeradores.
Para expandir e oferecer ainda mais oportunidades de trabalho, o Grupo Shoey ainda pretende ampliar os ramos de negócios. A loja de roupas recém inaugurada é um dos passos nessa direção.
Serviço: A loja “Barato! Chique!” atende de segunda à sexta das 9h às 20h, sábados das 9h às 18h e domingos das 9h às 14h, na Avenida Américo Figueiredo, 3.611, no Júlio de Mesquita.


.:Escola Luiz Almeida Marins comemora o Dia da Criança :.

Na semana do Dia das Crianças a Escola Municipal Profº. Luiz Almeida Marins no Júlio de Mesquita esteve em festa. As crianças se divertiram bastante, curtindo as atividades programas pela escola. Na quarta-feira (14), a danceteria colocou a criançada para dançar e eles aproveitaram para recuperar as energias deliciando-se com cachorro-quente e refrigerante. Já na quinta-feira, os alunos participaram da Oficina de Artes promovida pelos próprios professores da unidade. A semana foi encerrada com pipoca, algodão-doce e muita diversão nos brinquedos infláveis e cama elástica.
Além disso, em sala de aula os professores trabalharam com os alunos o Estatuto da Criança e do Adolescente, abordando os direitos e deveres das crianças.
Encerrando as comemorações, os professores e funcionários da escola foram recepcionados com uma cesta de café da manhã individual em comemoração ao Dia dos Professores.


.: Criatividade e geração de renda em cursos culinários :.

Os cursos culinários promovidos pela loja Dijos Doces são oportunidades de se capacitar para produzir de diversos tipos de doces, bolos, entre outras delícias.
A criatividade está presente nas receitas, o que colabora tanto para quem ainda não tem experiência, como para quem já trabalha no ramo. No dia 2 de outubro o curso com a culinarista da Alispec ensinou a fazer o bolo temático da “Pequena Sereia”, com 2 andares separados por um aquário com peixe vivo.
Próximos cursos:
10/11 – Panetone Frutas – Trufado – Sensação. Chocolate Bell. Professora Terezinha. Às 13h30.
13/11 – Mini Bolo - Massa Flexível – Biscoitos. Chocolate Garoto. Professora Ana Pavin. 14h
27/11 – Venha aprender Pão-de-Mel que sai pronto da forminha – recheios natalinos e decorações – mini-pão-de-mel redondo, quadrado e no palito. Professora Valquiria – Formas Suíça. 14h
As aulas são realizadas em uma cozinha específica para cursos no salão de festas Spaço Kids, rua Mário Soave, 552, S. Marcos. O telefone é 3017.0529. Inscrições com 3 dias de antecedência na Dijos Doces, Av. Gal. Carneiro, 1808, Jd. Simus. Informações: 3222.5274 e 3217.9087.


.: Diabetes pode levar à perda dos dentes :.

Estima-se que 22 milhões de pessoas sofram de diabetes no Brasil. A doença traz deficiências na produção de um hormônio produzido pelo pâncreas, chamado de insulina, necessário para que o açúcar do sangue penetre nas células.
O que poucos sabem é que os diabéticos, entre outras complicações, também têm três vezes mais risco de desenvolver uma infecção que destrói o osso e os tecidos que suportam os dentes, conhecida como doença periodontal, que pode levar inclusive à perda do dente. Se o metabolismo estiver descontrolado, então irão apresentar até 11 vezes mais chance de ter perda óssea periodontal.
O caminho inverso também acontece. Pessoas com diabetes que têm a doença periodontal apresentam pior controle metabólico do que diabéticos sem o problema bucal. Isso acontece porque, como qualquer outra infecção, a doença periodontal aumenta a resistência tecidual à insulina.
Para controlar esse problema, é importante que o indivíduo com diabetes consulte um periodontista com frequência, pois o tratamento bucal pode melhorar os níveis de glicemia. Tudo isso, aliado a um bom acompanhamento médico, uma eficaz higiene bucal e consultas periódicas com o cirurgião dentista são importantes para manter o equilíbrio da saúde.


Dr. Edílson Valente Jorge – Cirurgião Dentista
CRO - 44126

.:Trabalho social com crianças no Jd. Novo Mundo
comove com a luta pela sobrevivência :.

“Eu não sou esse xingamento aí. Eu sou uma benção”. Essa é a lição mais importante que Celina Cláudia Menezes Lemes deu desde que começou (há 11 anos) a realizar reuniões todos os sábados em sua casa para ajudar na prevenção às drogas. A princípio eram 35. Hoje, 230 crianças e adolescentes são fiéis frequentadores do que eles mesmos intitularam “Projeto Celina”. Ela e o marido são vendedores ambulantes de algodão-doce, maçã do amor, etc. A história teve início quando seus filhos se envolveram com entorpecentes. “Sofri com meus filhos. Então quis fazer algo que evitasse outras mulheres a passar pelo que passei”, relata.
Eles vão chegando partir das 8h30min. Às 9h é servido o café-da-manhã, com pães e leite doados por uma padaria e uma entidade. A margarina é paga com o suor de Celina e seu esposo. Quando começou o trabalho, ela servia apenas doce para as crianças. Mas ouviu dos pequeninos: “Não quero doce. Estou é com fome”. E precisou atendê-los.
Depois todos ouvem a Palavra de Deus e segue um louvor repleto de música e orações. Feito isso, é ministrada uma palestra sobre temas como drogas, alcoolismo, sexualidade, gravidez na adolescência, família, violência, etc. Houve uma ocasião em que alguns garotos frequentadores do projeto montaram uma gangue e chegaram a agredir uma criança de outro bairro. O caso teve grande repercussão e ela precisou agir. Mostrou aos meninos as efeitos do ato e as marcas que deixaram naquela família. “Nunca mais se envolveram em confusão”, garante.
Após a palestra, Celina divide grupos, e com a ajuda de voluntários (a maioria ex-participantes) oferece aulas de reforço escolar, bordado, pintura em tecido, artesanato e futebol. Os menores ficam debaixo de uma árvore, para a qual Celina aponta vislumbrada, como se fosse uma equipada brinquedoteca: “Damos os brinquedos, e eles ficam lá felizes da vida”.
O local tem 500m² de área verde. Fica ao lado de um córrego e o mau cheiro chega a incomodar. Nada que afaste as crianças, que cada vez chamam mais amigos e parentes.
No fim da manhã, para encerrar o dia, Celina oferece um almoço, sem nenhuma ajuda do poder público, muitas vezes custeado também pelo seu trabalho e do esposo. Ela lembra que certa vez não tinha dinheiro para o almoço do projeto e já estava quase se desesperando. Na quinta-feira, ao levar um sobrinho para a escola, foi parada por alguns rapazes do bairro, envolvidos com drogas. Sem saber da necessidade de Celina, eles doaram R$ 200, para o trabalho. “Me lembrei da bíblia, quando Deus fala: ‘Eu tiro da mão do ímpio e trago para o justo’”, se emociona.
O projeto passa por algumas dificuldades e qualquer colaboração voluntária é bem vinda. “Quando a TV TEM esteve aqui, muitos me ajudaram. Mas com o tempo foram embora”, lamenta.
Celina ainda não conseguiu tirar os próprios filhos das drogas. Mas com seu trabalho, evitou a ida de muitos outros para o meio. Afinal, quem um dia visita o Projeto Celina, não sai de lá da mesma forma que chegou.
Serviço: Para colaborar, o Projeto Celina funciona na Rua Aurora Ayres de Camargo, 205, Jd. Novo Mundo. O telefone para contato é 3247.6221.


.: Crianças se animam com playground que deverá ser implantado na pista de caminhada :.

Quando Nadir Camara Tomé começou a costurar, há cerca de 40 anos, a intimidade com linhas, agulhas e tesouras era quase um dever de toda mulher, antes de se casar. Para ela, além de necessidade, havia o gosto pela profissão. “Todo esse tempo eu trabalho no que me dá prazer, sempre me atualizando”, conta.
Hoje, ainda apaixonada pelo que faz, Nadir cuida da sua loja Camara Confecções, especializada em pijamas da marca Cochilo, criada por sua filha Márcia. O diferencial da marca são os tamanhos especiais, camisolas para gestantes e os modelos necessários pré ou pós-operatórios. “Você vai por aí e compra só o que oferecem. Aqui a pessoa escolhe a estampa e o modelo, e eu confecciono sob medida, com um pequeno prazo de entrega”, explica.
Além disso, vendo a existência de várias escolas municipais no bairro, Nadir também passou a fabricar os uniformes escolares tanto verão, como os de inverno, evitando assim que as pessoas precisem ir ao centro da cidade, enfrentando dificuldades com trânsito e estacionamento. Também são oferecidos tamanhos especiais sob encomenda, sem precisar pagar mais por isso.
A Camara Confecções vende no atacado e varejo. O endereço é Rua Fernando Ribas Parra, 191, paralela com a avenida Elias Maluf, no Wanel Ville. Os telefones para contato são 3202.3134 e 3017.3864.

.:Conferência defende comunicação como um direito :.

Embora tenha havido um boicote de alguns empresários do setor, realizou-se no dia 3 de outubro a etapa regional da 1ª Conferência Nacional de Comunicação, que ainda terá a fase estadual e a nacional (em dezembro). O Jornal Bairro em Foco esteve presente. A iniciativa tem por objetivo discutir o conteúdo de rádios e TV’s, que são concessões públicas, além de criar um debate sobre a qualidade das informações nos mais diversos veículos.
A comunicação, assim como educação, saúde, moradia, é um direito humano, que deve ser apropriado e exercido por toda a sociedade. Por isso, a etapa de Sorocaba teve como ponto principal a proposta de criar-se um marco regulatório norteado pelo conceito de comunicação como direito. Isso foi feito através de um documento elaborado ao longo de três palestras de especialistas, seguidas de debates e proposições.
Outras propostas importantes foram o acesso gratuito e universal de banda larga, criação de leis e normas que assegurem a pluralidade e a diversidade nos meios de comunicação. Parte dos recursos para isso viria de dois fundos: Fust (Fundo de Universalização dos Serviços de Comunicação) e Funtel (Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Comunicações), com os quais todos já contribuem em contas de água, luz, etc.
O documento que foi enviado para as discussões em âmbito estadual está disponível na íntegra em nosso site: www.jornalbairroemfoco.com.br.


 

Leitora anônima - Tenho 16 anos. Fiz uma pequena tatuagem no braço e quando meu pai descobriu, ficou furioso. Queria me levar ao estúdio onde eu fiz para se entender com os proprietários, entre outras coisas. Depois de muita conversa, ele se acalmou, embora ainda esteja chateado. Mas, agora estou com a intenção de fazer mais tatuagens, pois acho lindo. Como posso convencê-lo disso?

Querida leitora, você está passando pela adolescência. É nesta fase da vida que existem muitos conflitos. Por um lado vejo o quanto você ainda se preocupa com a avaliação do seu pai. Por outro, você escreveu que quer fazer outras tatuagens, pois provavelmente seus amigos devem ter elogiado. Todos estes estímulos externos também influenciam nossas escolhas.
De acordo com Knobel, um pesquisador sobre adolescência, esta é a fase em que estamos nos preparando para a vida adulta, deixando de ser crianças e treinando para a uma vida independente. Porém, ainda somos dependentes de nossos pais, e assim fazemos um movimento de vai e volta como o de um ioiô. Ora precisamos do apoio e carinho deles, ora queremos nos afastar. E quanto mais os contradizemos, mais nos sentimos independentes deles.
Contudo, tornar-se adulto e assumir responsabilidades não é algo fácil. Devido a isso substituímos temporariamente nossos pais pelo “grupo” que nos protege e é por isso que damos tanta importância para os amigos. Muitas vezes, para sermos aceitos, definimos nossas opções pela avaliação do grupo, pois precisamos dele para nos sentirmos seguros longe de nossos pais.
Quanto à tatuagem, primeiro avalie bem todos os motivos pelos quais deseja fazer outras. Observe que o seu comportamento produziu sentimento de tristeza em seu pai, questione porque ele não gostou e depois argumente com ele quais serão as vantagens de novas tatuagens.
Ser um adulto exige responsabilidades e o primeiro passo é nos responsabilizar pelas conseqüências de nossos próprios atos e nos orientar por conseqüências em longo prazo, não apenas pelo imediato, afinal você não vai ser adolescente para sempre.
Dra. Christiane M. T. Araújo
Av. Américo Figueiredo, 454, Jd. Simus
Fone: 3221.7106 / 3018.1180


.:Pensamentos do Jota :.

Entrando na adolescência, havia na escola um amigo apelidado de Surfista. Ele tocava guitarra virtuosamente, compunha algumas músicas e sonhava ser um astro da música. Certa vez, Surfista, eu e mais um amigo planejamos conhecer a rádio da qual éramos ouvintes assíduos. Chegando tímidos, comunicamos à recepcionista o desejo de conhecer as instalações e os locutores de um programa de humor que adorávamos. Não sem surpresa, ouvimos a moça dizer: “Tudo bem. É só esperar a Daniela Mercury sair do estúdio, aí vocês podem entrar”. Na época, a cantora vivia o boom de sua carreira, e sequer sabíamos da sua presença na cidade. Pegamos alguns papéis, emprestamos caneta e ansiosos ficamos num corredor estreito esperando-a passar.
Ao sair do estúdio, logo um grande número de pessoas a cercou e tivemos algumas dificuldades de chegar perto. Finalmente consegui meu autógrafo. Vi que meu outro amigo também havia tido êxito. Só não conseguia enxergar o Surfista. Onde estaria?
A Daniela Mercury estava acabando de se desvencilhar dos fãs que a cercavam. Prestes a entrar no carro, a cantora vê o Surfista pular assustadoramente à sua frente, segurá-la pelos ombros, olhar em seus olhos e chacoalhá-la dizendo: “Daniela. Meu nome é Thiago Castro. Guarde esse nome. Eu vou fazer muito sucesso um dia!”. O outro amigo e eu não sabíamos onde nos esconder. Todos ficaram espantados. E a baiana respondeu apenas: “Se Deus quiser...”
O desejo do Surfista era ser famoso com a música. Mas a frase dele foi “vou fazer sucesso”, e não “vou ser famoso”. E sucesso ele teve. Hoje, mora em Brasília, trabalha com informática e ainda tem projetos musicais, porém para contentamento próprio. Agora o seu sucesso é particular, sem depender do glamour e da mídia para se sentir satisfeito.
Qual é o conceito de sucesso a ser adotado? Fama ou felicidade? Prestígio ou satisfação? Definitivamente, o sucesso não está condicionado à fama e dinheiro. Talvez essas coisas levem algumas pessoas a encontrar felicidade e satisfação. Mas não são as únicas vias para se chegar nesses objetivos. Felicidade e satisfação estão muito mais ligadas a fazer o que gosta e estar de bem consigo mesmo. Como jornalista, também me considero um homem de sucesso. Embora não tenha alcançado alguns anseios juvenis, vejo que as dificuldades me levaram a ter algo mais precioso: a satisfação de saber que (bem ou mal) as coisas aconteceram como deveriam ter acontecido. Oxalá esse também seja o pensamento de quem lê essa história.


.: voltar :.